Reunião define projetos da Consulta Popular 2019/2020

Os projetos regionais que serão votados na Consulta Popular 2019/2020 serão debatidos em reunião marcada para esta terça-feira (20), às 19h, no Plenário Fernando G. Dose da Câmara Municipal de Vereadores de Panambi. O encontro terá a presença de representantes dos municípios de Condor e Pejuçara, além do do Presidente do Conselho Regional de Desenvolvimento (Corede) Noroeste Colonial, Nelson Thesing.
Em entrevista à Rádio Sulbrasileira na manhã de segunda-feira (19), o secretário municipal de Governo e Relações Institucionais, Rogério Heitor Malheiros, e o presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento (Comude), Álvaro Hoffmann, destacaram a presença da comunidade na reunião de amanhã.
“Vamos decidir quais serão os projetos que estarão nas cédulas da votação. Panambi sempre se mobilizou bem. A gente acredita que novamente vamos contar com a presença da comunidade”, destaca Malheiros.
Neste ano, devido à troca de governo no Estado, houve atraso na definição da organização da Consulta Popular, o que fez com que o calendário ficasse mais curto. “Isso acabou impactando e, quando isso foi definido, já estava próximo do período que eles precisavam incluir as demandas no orçamento do ano que vem. Eles precisam definir as demandas em setembro”, explica Hoffmann.
Em 2019, o orçamento da consulta caiu de R$ 80 milhões para R$ 20 milhões. O valor para o Corede Noroeste Colonial será de R$ 628.571,43, sendo que o projeto com a maior votação receberá 60% do valor e o segundo mais votado receberá 40%.”Por mais que os recursos são poucos, se nós não buscarmos isso para Panambi, outra cidade conseguirá”, destaca Malheiros. Para o secretário, a equipe do governador Eduardo Leite está trabalhando “com os pés no chão”, garantindo que pagarão os projetos votados este ano assim como os do ano passado. “Não adianta passar uma expectativa de um valor muito grande se não pode cumprir”, comenta, ressaltando que, graças aos recursos da Consulta Popular, foi possível adquirir equipamentos para os postos de saúde e para a Casa do Mel.
Além disso, não haverá projetos para as áreas de educação, saúde e segurança, com foco no desenvolvimento regional.
Na reunião, foram deliberadas algumas diretrizes que priorizaram três eixos principais: desenvolvimento da agropecuária, assessoria para micro e pequenas empresas e controle da qualidade da água.