Rafael e Bernardo: dois casos que chocaram duas cidades no Noroeste do RS

O sepultamento do menino Rafael Mateus Winques foi marcado pela comoção dos moradores de Planalto que, até segunda-feira, 25, buscavam encontrar o garoto com vida. A criança havia desaparecido no dia 15 e, desde então, as buscas envolveram a polícia e a comunidade. A causa do óbito de Rafael Mateus Winques foi anunciada nesta terça-feira, 26, em coletiva no Palácio da Polícia, em Porto Alegre.
O laudo da necropsia do Posto Médico-Legal de Carazinho indicou que a criança morreu por esganadura ou asfixia mecânica. O laudo, no entanto, contradiz a versão da mãe que havia dito que o filho faleceu por ingestão de um medicamento, pois estava inquieto e nervoso. A morte de Rafael traz à lembrança outro caso semelhante, o Caso Bernardo, de Três Passos, em abril de 2014. Ele também tinha 11 anos. Bernardo foi morto com uma dosagem alta de Midazolam. Seu foi achado enterrado no interior de Frederico Westphalen, 10 dias depois.
Quase cinco anos depois da morte do menino Bernardo Boldrini, jurados votaram pela condenação de quatro pessoas: o pai, Leandro Boldrini; a madrasta, Graciele Ugulini; a amiga do casal, Edelvânia Wirganovicz, e Evandro Wirganovicz, irmão de Edelvânia. Evandro cumpriu pena e os demais estão presos. Planalto ca a 147 quilômetros de Três Passos, e as duas cidades estão localizadas no Noroeste do Rio Grande do Sul.

Fonte : Três Passos News

Deixe uma Resposta

  
 WhatsApp