Prefeito Daniel fala sobre Castelinho que desabou parcialmente neste sábado

O prefeito Daniel Hinnah disse a poucos instantes que, a casa foi adquirida pela Prefeitura de Panambi em 2009 e tombado na esfera municipal em 2010. Entre 2010 e 2012 foram executados vários levantamentos e análises para elaborar o projeto de restauração. Em 2014 foi inscrito no Pró-Cultura RS na tentativa de captar recursos via lei de incentivo para restauro. Como nunca houve interessados, atualmente o projeto encontrava-se arquivado.
Há cerca de 5 anos foi feito um orçamento para restauração deste prédio tombado pelo patrimônio histórico de Panambi, que previa cerca de R$ 2,4 milhões nesta obra. Atualizando para os dias de hoje provavelmente os custos ultrapassariam os R$ 3 milhões, ou mais.
Por isso, Conselho de Políticas Culturais foi ouvido a respeito, e opinou que deveria ser preservada a memória do prédio e buscado opções para sua restauração, como busca de investidores privados.
Foram realizadas algumas audiências públicas, e na última, em 29 de novembro de 2018, foi questionado para a comunidade se haveria algum interessado em investir na restauração, ainda como investimento privado, mas não foi encontrado nenhum interessado. Houve consenso que o estado de conservação não viabilizava mais essa restauração, principalmente por ser um investimento muito alto, para um prédio pequeno. Foi definido que deveria ter seu entorno limpo, sinalizado para proibir a entrada de desavisados pelo risco de desabamento, e cercamento para segurança, o que foi feito.
Está em elaboração um concurso artístico para projeto de construção de uma réplica da fachada original do prédio, em tamanho reduzido, que será construído no mesmo local, para que possa ser feito o destombamento do prédio e destinação desta área para finalidade pública cultural, de educação ou lazer da comunidade panambiense, guardando uma memória deste prédio de características peculiares, que infelizmente, não tinha condições de restauro, principalmente por inviabilidade financeira.
Diz ainda o prefeito Daniel que, a expectativa de alguns de que ele fosse restaurado, exigiria um investimento de mais de R$ 3milhões, dos impostos pagos pelos panambienses, recurso esse que não está disponível no município e ainda teria muitas outras prioridades onde seria melhor aplicado. Felizmente ninguém estava no prédio quando ocorreu o desabamento acrescentou o prefeito Daniel.