Panambi registra 15º caso de dengue

A Secretaria Municipal da Saúde de Panambi confirmou mais um caso de dengue no município nesta quinta-feira (30). Ao todo, já são 15 casos confirmados. O paciente é morador do Bairro Italiana e trabalha em uma empresa no Bairro Alvorada. Nesta tarde, será aplicado o veneno.

Este é o segundo caso confirmado nesta semana. O 14º foi registrado na segunda-feira (27). A paciente mora no Centro. A equipe de endemias já havia realizado o ciclo de veneno em torno da residência.

Mais de 80 casos na região

Na área de atuação da 17ª Coordenadoria Regional da Saúde, que abrange vinte municípios, há mais de 80 casos confirmados. Ijuí lidera com 46. Mais dez casos foram confirmados na segunda-feira.

“A situação é preocupante, as pessoas precisam se conscientizar também sobre a dengue, fazer cada um a sua parte”, destacou o coordenador do Núcleo de Vigilância Ambiental, Rinaldo Pezzetta em nota da prefeitura. Os casos foram notificados nos bairros Novo Leste, Modelo e Lambari. O trabalho de bloqueio e eliminação dos criadouros do mosquito aedes aegypti foi realizado ao longo do dia.

Santo Augusto tem o segundo maior número de casos registrados entre os municípios da 17ª CRS, 21 ao todo. Em seguida, até o momento, está Panambi com 14.

Rio Grande do Sul

Até o dia 25 de abril, o Rio Grande do Sul tinha 1.684 casos confirmados e quatro óbitos de dengue. Do número total de infectados, 1.359 (81%) são autóctones, ou seja, contraídos no Estado, e 325 (19%) importados. Em comparação ao mesmo período do ano passado, o número triplicou. Eram ao todo 554 casos.

O número de pacientes com dengue supera os com Covid-19. No entanto, 51 gaúchos perderam a vida em função do novo coronavírus. Ou seja, o número de óbitos é mais de dez vezes maior do que os pelo caso da doença causada pelo Aedes Aegypti.

Brasil

 O Ministério da Saúde informou que foram notificados em todo o Brasil 603.951 casos prováveis de dengue. A taxa de incidência é de de 287,4 casos por 100 mil habitantes. A região Centro-Oeste apresentou a maior incidência com 709,5 casos por 100 mil habitantes, seguida das regiões Sul (692,2 casos/100 mil habitantes) e
Sudeste (253,3 casos/100 mil habitantes). A pasta não divulga o número de casos confirmados.

Até o momento, foram confirmados 221 óbitos por dengue. A maior concentração dos óbitos confirmados estão nos estados da região Sul (Paraná), Sudeste (São Paulo) e Centro-Oeste (Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Distrito Federal). Permanecem em investigação 208 óbitos.

A faixa etária acima de 60 anos concentra 58,4% dos óbitos confirmados (129 óbitos) por dengue. Observa-se uma distribuição semelhante em ambos os sexos. Destaca-se que a taxa de letalidade por dengue foi maior entre os idosos a partir dos 60 anos e, dentro dessa categoria, os mais acometidos foram aqueles com 80 anos ou mais.

Em comparação com o número de óbitos por Covid-19, que já vitimou 5.466 pessoas, as mortes por dengue são 20 vezes menores.

Deixe uma Resposta

  
 WhatsApp