Panambi permanece na bandeira vermelha

O Governo do Estado não aceitou o recurso apresentado pelos municípios da região de Ijuí e a manteve na classificação da bandeira vermelha. A divulgação ocorreu na tarde desta segunda-feira (17) pelo governador Eduardo Leite em transmissão nas redes sociais.

A bandeira fica vigente a partir da 0h desta terça (18) até às 23h59 da próxima segunda-feira (24). Neste período, Panambi deverá adotar medidas mais restritivas pelas próximas duas semanas.

Em entrevista à Rádio Sulbrasileira, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Rafael Jacques de Oliveira, afirmou que os serviços não essenciais deverão permanecer fechados nesta terça-feira (18) e só poderão entrar em funcionamento de quarta-feira a sábado das 9h às 17h.

Os restaurantes podem abrir de quarta-feira a domingo das 9h às 17h. À noite, poderão trabalhar apenas com tele-entrega e take away.

Já os serviços essenciais – mercados, bancos, postos de gasolina, oficinas mecânicas, academias, entre outros – podem manter a rotina, desde que limitem o número de clientes e funcionários nos estabelecimentos.

A Prefeitura publicará um decreto com todas as regras nas próximas horas. “Terça-feira o comércio terá que estar fechado. A gente fica consternado com esse fato. É um problema muito grande para o nosso comércio e para o setor econômico”, afirmou Rafael.

Mais informações sobre as regras da bandeira vermelha podem ser acessadas no site https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br/

No mapa definitivo da 15ª rodada do Distanciamento Controlado, 14 regiões foram classificadas como vermelha, com alto risco epidemiológico. Trata-se do mapa definitivo mais vermelho desde que o modelo foi implementado, em maio.

O governo do Estado aceitou apenas os pedidos de reconsideração das associações regionais de Caxias do Sul e Erechim. Além de indeferir o recurso apresentado por Ijuí, o Gabinete de Crise indeferiu os documentos apresentados pelas regiões de Taquara, Passo Fundo, Guaíba, Santo Ângelo, Cruz Alta e Santa Rosa, que permanecem em bandeira vermelha por terem apresentado alto nível de ocupação dos leitos e de propagação do vírus.

Durante a transmissão, o governador anunciou, ainda, mudanças em protocolos sugeridos pelo Estado para algumas bandeiras. A seguir, veja o que mudou:

Indústria (derivados do petróleo, químicos e borracha e plástico): ampliação do teto de operação na bandeira preta.

Missas e serviços religiosos: na bandeira vermelha, o teto de ocupação pode ser de no máximo de 30 pessoas ou o máximo de 10% da capacidade de público.

Competições esportivas e treinos de atletas profissionais: ficam permitidas nas bandeiras amarela e laranja, exclusivo para atletas e equipes, sem a presença de público, mediante aprovação do município sede e do atendimento da Nota Informativa 18 COE/SES-RS e demais protocolos obrigatórios do Distanciamento Controlado.

Deixe uma Resposta

  
 WhatsApp