Nenhum caso de Covid-19 foi confirmado em Ijuí na primeira etapa de pesquisa sobre o avanço do coronavírus no Estado

Os resultados da primeira etapa da pesquisa que está mapeando o avanço do Coronavírus no Rio Grande do Sul foram divulgados nesta quarta-feira, dia 15 de abril. Segundo o Governo do Estado, em anúncio durante a tarde, a primeira rodada da pesquisa por amostragem estima que 5.650 pessoas já estejam contaminadas pela Covid-19. As projeções levam em conta o resultado de 4.189 testes aplicados em nove cidades de diferentes regiões e apontam para uma relação de um caso para cada grupo de 2 mil habitantes.

O estudo inédito encomendado pelo Governo do Estado e coordenado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), com participação de diversas outras universidades, entre elas a Unijuí, terá outras três fases, com o objetivo de identificar a prevalência da Covid-19 e projetar a incidência de casos mais graves e até o grau de letalidade da doença. Dos testes aplicados entre sábado (11/4) e segunda-feira (13/4), dois casos deram resultado positivo para a Covid-19 no Estado, o que representa 0,05%. Em Ijuí, nenhuma pessoa testou positivo para a doença nesta primeira rodada, em um total de 500 pessoas testadas. 

O estudo está ocorrendo em Pelotas, Santa Maria, Uruguaiana, Ijuí, Passo Fundo, Caxias do Sul, Santa Cruz do Sul, Lajeado e na grande Porto Alegre simultaneamente, com o objetivo de mapear o avanço da pandemia no Estado. O teste, de fácil aplicação, utiliza uma amostra de sangue (uma gota) da ponta do dedo do participante, que será analisada pelo aparelho de teste em aproximadamente 15 minutos. Enquanto o resultado é processado, os entrevistadores aplicam um breve questionário sobre informações sociodemográficas básicas, sintomas da Covid-19 nas últimas semanas, busca por assistência médica e rotina da família em relação às medidas de prevenção e isolamento social.

“Para Ijuí, cerca de 2,5% da população será testada, considerando os quatro ciclos da pesquisa, dois mil testes no total. Teremos, além dos testes, dados relacionados à faixa etária, sexo, categorias sócio-demográficas, que nos ajudarão a fazer uma leitura mais ampla do cenário na cidade”, salientou a professora Evelise Berlezi, uma das coordenadoras da pesquisa pela Unijuí. Os professores pesquisadores do Departamento de Ciências da Vida (DCVida), ligados também ao Mestrado em Atenção Integral à Saúde, Evelise Berlezi, Thiago Heck e Matias Frizzo, fizeram uma transmissão ao vivo para comunicar questões da pesquisa em Ijuí. 

Fonte: Unijuí

Deixe uma Resposta

  
 WhatsApp