Médica brasileira relata mercados vazios e aulas suspensas nos Estados Unidos .”Está todo mundo se cuidando”

Em entrevista à Rádio Sulbrasileira, a médica Edelaide Raquel Pilau Frazão, gaúcha que atualmente vive na cidade de Savannah, Estado da Geórgia – Estados Unidos da América, relatou como os norteamericanos tem lidado com a pandemia do coronavírus (Covid-19).

Durante participação no programa O Que Acontece, na qual foi entrevistada por Diogo Pilau, Raquel relatou que a população tem respeitado as medidas de prevenção e estão evitando sair de casa.

“O americano é bem preocupado. As pessoas estão em casa mesmo”, afirma. “Os restaurante e comércio estão aberto, mas não tem movimento, as pessoas estão evitando sair de casa. Está tudo vazio.”

A preocupação fez com que equipamentos recomendados para evitar a contaminação – incluindo álcool gel e máscaras – acabaram dos estabelecimentos comerciais. “Não tem mais porque as pessoas realmente compraram muito.”

Além disso, a água está sendo racionada e faltam produtos nas prateleiras de supermercados – inclusive materiais de limpeza. ” Se chegar no mercado de tarde, não tem nada. Grandes mercados, como o Walmart, já tem prateleiras inteiras vazias.”

Aulas foram todas suspensas, tanto da escola elementar, nível médio e superior canceladas.

Assim como tem ocorrido no Rio Grande do Sul e em Panambi, as aulas estão sendo suspensas. Campus e dormitórios das universidades – nos Estados Unidos, os estudantes costumam morar nas instituições – estão fechados. A previsão é de que o as atividades normalizem no dia 3 de abril. “Mas não sabemos se vai voltar mesmo ou não”, enfatiza.

Todos os eventos com mais de oito pessoas – desde reuniões, festas, esportes e formaturas – também foram suspensos até o dia 1º de abril.

Brasileiros são privilegiados por ter o SUS”

Questionada sobre o sistema de saúde nos Estado Unidos, Raquel explicou que, diferente do Brasil, que conta com o Sistema Único de Saúde (SUS), os americanos contam apenas com atendimento privado, ou seja, pago. E quem não possui um plano médico, precisa pagar as despesas hospitalares.

“Como não tem saúde pública, nem gratuita, eles são atendidos nos hospitais e a conta chega nas casas deles. E são contas muito altas, o sistema de saúde aqui é bem caro”, explica. Tem muito americano que evita ir no hospital.”

Esta situação pode levar a subnotificação de casos nos Estados Unidos. “Provavelmente tem muito mais caso que está confirmado. Deve ter muita pessoa contaminada que não foi a procura do exame para confirmar se está [com o Covid-19] ou não.”

A mesma preocupação foi dividida pelo professor de Medicina Preventiva e Doenças Infecciosas da Universidade de Vanderbilt, em Nashville, nos EUA. “O que acontece agora é que não sabemos quantos casos realmente há no país.”

Em audiência no congresso americano, o chefe do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos EUA, Anthony Fauci, fez um desabafo e afirmou que o sistema de saúde do país fracassou no modo como está lidando com o Covid-19.

“O sistema não está realmente orientado ao que precisamos neste momento. É um fracasso. Vamos admiti-lo”.

Orientações e alerta

Por fim, a médica trouxe algumas orientações aos Brasileiros. E alerta: “O coronavírus tem se propagando e a tendência é chegar no mundo inteiro. Vai chegar aí.”

Confira algumas orientações:

Evitar contato físico com as pessoas
Lavar bem as mãos
Usar álcool gel
Evitar lugares públicos
Sair de casa o mínimo possível

Confira a entrevista completa:

"Está tudo vazio", médica brasileira que vive nos EUA relata mercados sem produtos e ruas vazias

"Está tudo vazio", médica brasileira que vive nos EUA relata mercados sem produtos e ruas vazias.

Posted by Rádio Sulbrasileira on Wednesday, 18 March 2020

Deixe uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
 WhatsApp