Justiça mantém prisão preventiva de Alexandra Dougokenski, acusada de matar o filho

A juíza Marilene Parizotto Campagna, da comarca de Planalto prorrogou a prisão preventiva de Alexandra Salete Dougokenski. Ela é acusada de matar o filho, Rafael Mateus Winques, de 11 anos, em maio deste ano.
A conversão da prisão de Alexandra de temporária em preventiva ocorreu em 13 de julho, um mês após a prorrogação da prisão temporária por 30 dias. O Ministério Público havia manifestado, na semana passada, a intenção pela manutenção da prisão, enquanto que os advogados de defesa representaram pela soltura da ré.
“Em que pesem as relevantes alegações da parte autora, até o momento não aportou aos autos elementos fáticos aptos a infirmar a decisão que decretou a prisão preventiva da acusada”, disse, no despacho, a magistrada.
O advogado Jean Severo, que representa Alexandra, afirma que a decisão da magistrada será respeitada, e que tese defensiva de autoria do crime por parte do pai de Rafael será provada no decorrer do processo.
A decisão de segunda-feira (12) atende a determinação de revisão das prisões preventivas a cada 90 dias. Alexandra permanece detida na Penitenciária Municipal de Guaíba, na Região Metropolitana de Porto Alegre.
Rafael Mateus Winques, de 11 anos, estava desaparecido desde o dia 15 de maio, em Planalto. Dez dias depois, a polícia encontrou o corpo em uma caixa de papelão no terreno em frente à casa em que morava com a mãe e o irmão.
Alexandra admitiu o crime, em depoimento à polícia, mas alegou se tratar de morte acidental por excesso de dosagem em um medicamento.

Fonte: g1

Deixe uma Resposta

  
 WhatsApp