Justiça afasta conselheira tutelar em Nonoai

A pedido do Ministério Público de Nonoai, a Justiça determinou, nesta quinta-feira (27), em caráter liminar, o afastamento de Elianar Fortes, conselheira tutelar da cidade. Em ação civil pública ajuizada pela promotora Michele Taís Dumke Kufner, é relatado que Elianar realizou o transporte ilegal de eleitores no dia 06 de outubro de 2019, dia em que ocorreu a eleição para o Conselho Tutelar. O transporte teria sido realizado visando o favorecimento da candidata, que foi eleita como a conselheira tutelar mais votada do município.

Na decisão, a Justiça deferiu parcialmente o pedido de liminar para determinar o afastamento imediato da conselheira, mantendo, entretanto, a sua remuneração.

O caso

Após a divulgação do resultado do pleito, outros candidatos da cidade manifestaram revolta e a candidata Elizabete Salete Mânica se manifestou dizendo que Elianar havia realizado o transporte ilegal de eleitores até os locais de votação. Foi então orientado que a reclamante fizesse uma representação formal à Comissão Especial Eleitoral para apurar tais fatos, tendo sido instaurado procedimento para o ocorrido.

Em relato ao MP, Elizabete disse que chegou ao seu conhecimento que parentes de Elianar (sendo eles o pai, irmão e marido) fizeram a locomoção dos eleitores. A conselheira denunciada também foi ouvida pela Promotoria, mas relatou que permaneceu durante o dia do pleito no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e não ficou sabendo que se sua família estava realizando o transporte dos eleitores.

Testemunhas ouvidas pelo MP confirmaram que ao longo do dia do pleito viram os familiares de Elianar fazer o transporte de eleitores pela cidade.

Deixe uma Resposta

  
 WhatsApp