Geolocalização é ferramenta eficaz para monitorar aglomerações durante pandemia

Em transmissão ao vivo nesta terça-feira (14/4), o governador Eduardo Leite apresentou o funcionamento da ferramenta de geolocalização, utilizada como meio de verificar se há aglomerações neste momento em que é sugerido o distanciamento social para se evitar a disseminação da Covid-19. Amparada pela Lei Geral de Proteção de Dados, a geolocalização é um acréscimo eficaz no que diz respeito à elaboração de políticas públicas. No caso do combate ao coronavírus, é uma ferramenta de gestão que contribuirá para a proteção à saúde e à vida.

Leite disse que, em nenhum momento, há monitoramento de informações a respeito dos usuários de celular. “A geolocalização identifica o perímetro onde o celular permanece à noite e compara, durante o dia, com a movimentação do aparelho, se permanece naquele perímetro ou muda de lugar”, explicou. Isso dá uma noção mais clara sobre a adesão ao isolamento social. “Não há registro de nada pessoal, nada específico de usuários”, acrescentou.

“O celular está junto das pessoas na maioria do tempo. Nesse sentido, os dados emitidos se tornam confiáveis para visualizar se há aglomerações e onde. Juntamente com outras informações que temos no Gabinete de Crise, possibilita para o governo a implantação de políticas públicas mais eficazes no combate ao coronavírus, assim como ações de conscientização”, explicou o secretário de Governança e Gestão Estratégica, Claudio Gastal.

O Estado não prevê punição aos usuários que não estiveram isolados – sequer teria como fazer isso, uma vez que não há qualquer informação individual, como nome do dono do celular ou CPF –, e quer somente entender onde e por qual motivo há aglomerações.

No RS, observou-se, depois da implementação das políticas de restrições de atividades, adesão de 50% dos gaúchos monitorados ao distanciamento social. O pico, de 70% de adesão, foi registrado no primeiro fim de semana da recomendação, entre os dias 20 e 22 de março.

Índice Isolamento Social FEV ABR
No Rio Grande do Sul, isolamento social foi maior no primeiro fim de semana da recomendação – Foto: Reprodução

No feriado de Páscoa, o índice foi mais alto na sexta e no domingo e mais baixo no sábado. Na segunda-feira após o feriado o índice caiu – somente 46,9% respeitaram o distanciamento social. Esses dados foram obtidos pelo monitoramento da In Loco, empresa do setor de segurança da informação e antifraude, líder nacional em tecnologias de geolocalização.

Coordenadora do Comitê de Análise de Dados sobre a pandemia, a secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos, lembrou que a solução que In Loco oferece auxilia em muito nas decisões do governo neste momento.

“Respeitar o isolamento social é a solução mais indicada para conter o avanço da pandemia e não sobrecarregar os serviços de saúde. O quanto pudermos aprimorar este controle, em especial nas populações de risco e ou em regiões de maior disseminação do vírus, mais vidas serão salvas”, destacou Leany.

O Executivo também busca parcerias com operadoras de telefonia, a fim de obter mais dados nesse sentido. O processo está em tratativas e ainda não foi finalizado, portanto, os dados acima não foram obtidos por meio das operadoras.

Empresa criou Índice de Isolamento Social

A In Loco colocou a tecnologia de localização à disposição de órgãos públicos e autoridades no combate à disseminação do coronavírus. A partir de uma base de dados com mais de 60 milhões de dispositivos móveis em todo o Brasil, a empresa criou o Índice de Isolamento Social.

Inédito, permite mapear a movimentação de pessoas dentro de regiões específicas e medir quais apontam maior distanciamento social, respeitando a privacidade de cada usuário.

“Com a nossa tecnologia, podemos ajudar no combate à disseminação do coronavírus. De forma criptografada e agregada, sem dados que possam identificar diretamente um usuário específico, o levantamento permite que os órgãos responsáveis atuem diretamente nas áreas de risco ou mais afetadas pelo vírus”, explicou André Ferraz, CEO da In Loco.

Índice Isolamento Social 14ABR2020
Quanto mais clara a cor do Estado, maior é o isolamento social, atendendo recomendação para frear disseminação do coronavírus – Foto: Reprodução

Com uma tecnologia 30 vezes mais precisa do que o GPS, a unidade de software da In Loco é integrada em aplicativos de parceiros para fins de segurança, autenticação e contagem de visitas a estabelecimentos.

Para compor o Índice de Isolamento Social, as informações são criptografadas e agregadas por bairro, tornando-se dados estatísticos que preservam a privacidade das pessoas. Feito isso, as informações passam a indicar a movimentação desse grupo de pessoas dentro dos bairros. Um baixo percentual de isolamento representa um grande número de pessoas entrando ou saindo de determinado bairro ou região.

Qualquer pessoa pode ter acesso aos dados. A In Loco disponibilizou no site inloco.com.br o Mapa Brasileiro da Covid-19. A população pode acompanhar o índice nacional e a divisão por Estado, com o histórico da semana. O conteúdo é atualizado diariamente, sempre no período da manhã, com as informações do dia anterior.

Fonte: Governo do Rio Grande do Sul

Deixe uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
 WhatsApp