Estiagem no RS: agricultores protestam em frente ao Palácio Piratini

Texto: Gabinete do Deputado Edegar Pretto

Ação, que segue protocolo sanitário devido ao coronavírus, reivindica soluções aos problemas da estiagem e compra de produtos da agricultura familiar

Integrantes de entidades e movimentos do campo realizam na manhã desta sexta-feira (8) uma manifestação em frente ao Palácio Piratini, em Porto Alegre.

Os agricultores familiares reivindicam medidas concretas dos governos estadual e federal perante a estiagem que assola o Estado. Eles chamam a atenção do governo do Estado sobre a gravidade dos problemas e a demora com a falta de ajuda diante dos prejuízos com as perdas dos cultivos e criações, agravadas com a crise do Coronavírus.

Também cobram resposta para a pauta entregue ao governo gaúcho janeiro, com medidas contra a estiagem. Uma das propostas é a criação de um Comitê Emergencial para tratar da estiagem. Mais de 350 municípios já decretaram situação de emergência devido à seca, o equivalente a 69% das cidades gaúchas.

Além disso, os agricultores denunciam que o governo gaúcho adquiriu mais de R$ 23 milhões em cestas básicas de atacadistas com recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), e ignorou o mínimo de 30% de compras da agricultura familiar, conforme determina a lei do Pnae.

Os agricultores usam máscaras e luvas, e seguem um protocolo sanitário elaborado por profissionais da saúde devido ao coronavírus. O protesto é considerado um gesto extremo diante dos problemas da agricultura, que é uma das maiores forças econômicas do RS e setor responsável pela produção de alimentos.

Participam o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), a Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Fetraf), a União Nacional de Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes) e Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Consea-RS).

Deixe uma Resposta

  
 WhatsApp