Estado propõe retomar aulas a partir do dia 31 de agosto

Em reunião on-line nesta terça-feira (11), o Governo do Estado apresentou uma proposta de retomada das aulas presenciais no Rio Grande do Sul. A proposta é iniciar o retorno gradual para a rede pública e privada a partir do dia 31 de agosto.

Conforme o calendário apresentado, o ensino superior retornaria dia 14 de setembro e o médio e técnico a partir de 21 de setembro. Já os anos finais do ensino fundamental voltaria no dia 28 de setembro e os anos iniciais em 8 de outubro.

No entanto, pela proposta, o retorno às aulas presenciais só ocorrerá nas regiões que não estiverem em bandeira vermelha.

A reunião contou com a presença do governador Eduardo Leite; do secretário estadual de Educação, Faisal Karam, e o Secretário de Articulação e Apoio aos Municípios Agostinho Meirelles Neto.

O prefeito Daniel Hinnah participou do debate representando a Associação dos Municípios do Planalto Médio (Amuplam). Ele manifestou preocupação quanto ao transporte escolar, uma vez que é realizado pelo município de forma compartilhada com o estado, e deve ficar muito clara a forma de realização.

Outro receio é com os previsíveis atestados de profissionais, que não podem ser substituídos por contratos em função do período eleitoral.

Daniel também disse que o retorno não deve iniciar pela educação infantil, e ainda deve ser considerada as duas etapas deste nível, que tem a subdivisão em alunos de 0 a 3 anos e 4 a 5 anos.

“Sabemos que é um tema muito sensível, mas não podemos nos resignar. Quem lida com educação sabe que não podemos deixar assim. É evidente que não colocaremos nossas crianças e nossa equipe de educação em risco sem termos segurança dessa redução de contágio. Vamos reduzir o nível de exposição presencialmente, dividindo turnos e horários, mas é importante que se mantenha algum nível de contato entre professor e aluno para reduzirmos os danos de aprendizagem devido à pandemia”, ponderou o governador Eduardo Leite.

O Estado afirmou que investirá cerca R$ 15,3 milhões em equipamentos de proteção individual para alunos e professores no intuito de garantir a segurança na volta às aulas da rede estadual. Com estes recursos, seriam adquiridos mais de 9,8 mil termômetros de testa, mais de 328 mil máscaras de uso infantil, mais de 1,9 milhão de máscaras de tamanho infanto-juvenil e mais de 1,3 milhão de máscaras para adultos (alunos e funcionários).

Conforme o secretário de Educação, os prefeitos terão a palavra final, deixando claro que não será uma imposição do Estado. “Decisão do retorno é da família, já discutida com o Ministério Público e com outras entidades. Deve ficar muito claro a sociedade e aos meios de comunicação que a decisão é familiar, mas o estado e municípios deverão oferecer as condições”, secretário Faisal Karam.

Cronograma proposto de retorno às aulas

31/8 – Ensino Infantil (público e privado)
14/9 – Ensino Superior (público e privado)
21/9 – Ensino Médio e Técnico (público e privado)
28/9 – Ensino Fundamental – anos finais (público e privado)
8/10 – Ensino Fundamental – anos iniciais (público e privado)


Deixe uma Resposta

  
 WhatsApp