Espécies de mosquitos Aedes foram localizadas em fragmentos florestais da região

Desde novembro de 2017 o professor Gerson Azulim Müller, do IFFar – Campus Panambi, conduz um projeto de pesquisa que tem como objetivo fazer um levantamento e monitorar as espécies de mosquitos que ocorrem em três fragmentos florestais da região. Para realizar o monitoramento foram instaladas armadilhas (ovitrampas) em matas de Panambi e Pejuçara, além de outra na área do Campus, as quais são revisadas periodicamente.
A metodologia de realização do projeto envolve as seguintes etapas: as larvas dos mosquitos são coletadas em campo e trazidas para laboratório onde são criadas até virarem adultos. Posteriormente elas são identificadas. De acordo com o professor Gerson, que conta com apoio das alunas Brenda Zanetti Dessbesell e Franciele Ortiz, do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, “nesse período de execução do projeto já foram encontradas algumas espécies de mosquitos do gênero Aedes, inclusive o Aedes aegypti”. Por isso se faz necessário retomar o cuidado com a proliferação do vetor transmissor da zika, chikungunya e dengue.
O período do verão é o mais propício à proliferação do mosquito Aedes aegypti, por causa das chuvas, e consequentemente é a época de maior risco de infecção por essas doenças. A população deve ficar atenta e redobrar os cuidados para eliminar possíveis criadouros do mosquito. As principais medidas de prevenção e combate ao Aedes Aegypti são:
Manter bem tampado tonéis, caixas e barris de água;
Lavar semanalmente com água e sabão tanques utilizados para armazenar água;
Manter caixas d’agua bem fechadas;
Remover galhos e folhas de calhas;
Não deixar água acumulada sobre a laje;
Encher pratinhos de vasos com areia até a borda ou lavá-los uma vez por semana;
Trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana;
Colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas;
Fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais;
Manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo;
Acondicionar pneus em locais cobertos;
Fazer sempre manutenção de piscinas;
Tampar ralos;
Colocar areia nos cacos de vidro de muros ou cimento;
Não deixar água acumulada em folhas secas e tampinhas de garrafas;
Vasos sanitários externos devem ser tampados e verificados semanalmente;
Limpar sempre a bandeja do ar condicionado;
Lonas para cobrir materiais de construção devem estar sempre bem esticadas para não acumular água;
Catar sacos plásticos e lixo do quintal.
Essa é a única forma de prevenção. E todos precisam fazer sua parte.