Economista compara renda percapita entre Panambi e Cruz Alta

Em 2020, talvez pela primeira vez desde o final de 1920, portanto cerca de 100 anos depois, a arrecadação da prefeitura de Cruz Alta vai praticamente empatar com a de Panambi pelo critério per capita.
A avaliação é do economista Natanael Mucke, destacando que, há 20 anos, a arrecadação total de Cruz Alta per capita foi de R$ 360,43 contra R$ 636,05 de Panambi. Ou seja, Cruz Alta arrecadava pouco mais da metade de Panambi. Esse cenário está modificado, especialmente com o crescimento do ICMS de Cruz Alta.

Conforme Mucke, o Valor Adicionado Fiscal que é base para 75% do ICMS que compete aos municípios apresentou um crescimento contínuo em Cruz Alta nos últimos anos. Somente de 2014 a 2018 (2019 os números só serão divulgados em novembro), Cruz Alta cresceu 79%, contra apenas 9% de Panambi. Como a população permanece muito próxima em termos de crescimento entre os dois municípios, ao menos, no período recente, os dados per capita apresentam uma significativa evolução para Cruz Alta.
O censo de 2020 também é esperado com expectativa por municípios como Cruz Alta, porque em 2010 em relação a 2000 o município perdeu população e mantida as regras atuais de estimativa populacional em 2021 Cruz Alta pode perder recursos do Fundo de Participação Municipal – FPM, o que não deixa de reforçar a tese de que está crescendo mais do que Panambi em termos per capita.
Ainda de acordo com o economista panambiense, o imposto sobre Serviços – ISS fechou 2019 com um per capita de R$ 193,98 em Cruz Alta, contra R$ 170,41 em Panambi. Já o IPTU foi de R$ 212,87, contra R$ 287,69 em Panambi. Mucke explica que, as duas cidades contrataram a mesma empresa para um recadastramento urbano com base em georreferenciamento.
Em 2020 a arrecadação total de Panambi que diferentemente de Cruz Alta possuí Regime Próprio de Previdência Social e saúde municipalizada ainda deverá ser ligeiramente superior ao município vizinho. Todavia, nos últimos anos o crescimento da base econômica de Cruz Alta pelo critério de Valor Adicionado Fiscal, coloca o município “mãe” em uma situação em relação ao “filho” um tanto diferente e que talvez nunca tenha feito parte da história. Os dados de fácil acesso mostram essa evolução nas últimas duas décadas mais favoráveis para Cruz Alta que de certa forma diferem dos dados históricos que vão até 35 anos antes da emancipação de Panambi que registravam um cenário mais favorável a então Colônia Neu-Württemberg.

Deixe uma Resposta

  
 WhatsApp