Por volta das 2h deste domingo 1º de março, dois homens foram baleados por integrantes da Brigada Militar após uma discussão, no Bairro São Roque, em Constantina. Supostamente, houve também confronto físico entre as partes. Geferson Borges e Jocemar Cavalheiro da Silva acabaram mortos.
As primeiras informações contém a versão dos familiares e vizinhos, que presenciaram o fato. De acordo com testemunhas, a ambulância da SAMU foi acompanhada pela viatura da polícia, após ter sido acionada para atender a filha de Geferson Borges, um dos baleados. A criança teria sofrido um acidente doméstico com o portão da casa, segundo o que diz a mãe. Ainda não há uma explicação concreta em relação a isso.

Na ocorrência da Brigada Militar consta que, na madrugada do domingo, dia 01/03/2020, os Policiais Militares receberam várias ligações através do celular da BM, da vítima (mulher de 28 anos) que seu marido estaria lhe espancando, e que durante a briga caiu o portão da residência em cima de sua filha de oito anos e que ela estaria ferida ainda em baixo dele.
Foi deslocado rapidamente para o atendimento da ocorrência e acionado a equipe do SAMU para prestar socorro a criança que teve um corte profundo em sua têmpora.
Chegando no local, foi constatado de que o homem (32 anos) continuava agredindo a mulher e os Policiais tentaram conversar e apaziguar a situação pois o mesmo estava bastante alterado e agressivo, momento em que ele se revoltou e partiu pra cima dos policiais, entrando em luta corporal vindo a derrubá-los no chão e tentava sacar a arma de um deles, momento que outro indivíduo (homem de 30 anos) chegou e começou a ajudar o acusado a tirar a arma, o outro policial que já teria tentado retirar os dois em cima do colega sacou a arma e disparou contra os dois indivíduos em legítima defesa vindo a feri-los. Os dois indivíduos feridos foram socorridos pela equipe do SAMU, mas momento depois vieram a óbito. Os Policiais Militares também restaram feridos, sendo medicados posteriormente.
A vítima já teria registrado duas ocorrências de agressões (Maria da Penha) contra o seu companheiro, que além dessas possuía uma vasta ficha criminal, como lesão corporal, vias de fato, ameaças, furto, receptação, inclusive já esteve preso por algum tempo.
O comando do 39°BPM já abriu procedimento através de Inquérito Policial Militar para averiguação dos fatos.

Fonte: Jornal Folha da Produção e 39° BPM

Deixe uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
 WhatsApp