Distanciamento controlado entra em vigor em todo o RS no dia 6 de maio

O governador Eduardo Leite apresentou aos gaúchos o modelo de distanciamento controlado na tarde desta quinta-feira (30). Em live nas redes sociais, Leite afirmou que o decreto entra em vigor na quarta-feira, dia 6 de maio.

A medida busca a reabertura gradual das atividades econômicas sem causar a sobrecarga do sistema de saúde do RS, garantindo o atendimento à população. Para isso, serão considerados uma série de dados sobre o Covid-19 nas cidades gaúchas, desde a velocidade do avanço, evolução e incidência de novos casos sobre a população, além da capacidade de atendimento da saúde.

“Não é uma flexibilização aleatória, não é para a gente voltar ao normal como a gente conhecia”, ressaltou Leite no início da apresentação. “Projetamos ter de conviver por longo período com restrições no Rio Grande do Sul.”

Embora existam trinta coordenadorias regionais de saúde, o governo estadual uniu algumas a partir de critérios como os hospitais de referência para leitos de UTI, criando vinte regiões para o acompanhamento dos indicadores. Clique aqui e veja a lista dos municípios por regiões.

A estratégia do governo prevê quatro estágios de controle, ou “bandeiras”: amarela, laranja, vermelha e preta. A amarela indica uma situação branda, com medidas mais amenas, e o grau de restrições avança até a preta, quando seria necessário o isolamento social (lockdown).

Para definir a cor da bandeira, foram definidos dois grandes grupos de medidores: propagação e capacidade de atendimento. Cada um deles tem peso de 50% para a definição das bandeiras. No total, serão acompanhados 11 indicadores.

A coleta dos dados será diária, mas a atualização das cores de cada região ocorrerá aos sábados, valendo para a semana seguinte.

Atualmente, a região de Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa e Santo Ângelo estão em bandeira amarela. Já Palmeira das Missões e Erechim estão na bandeira laranja.

As regiões de Passo Fundo e Lajeado estão em bandeira vermelha, que nos últimos dias apresentaram um elevado número de casos confirmados. Diante disso, o Estado anunciou o fechamento obrigatório do comércio a partir de sexta-feira (1º). Devido ao Dia das Mães, comerciantes destas cidades poderão atender por telentrega e “pegue e leve”. Não foi definido ainda a volta das atividades. Confira abaixo a lista de cidades que estarão com o comércio fechado.

De acordo com o governo, cada nível de distanciamento controlado conterá protocolos diferentes, que ainda estão recebendo sugestões.

“Nós já partimos de um estágio de atenção. Nenhuma região do Estado está livre com tudo funcionando normalmente, por isso não há bandeira verde neste momento”, explicou Leite.

O modelo também prevê a criação de 12 grupos setoriais, que incluem agricultura, indústria de construção, transporte, serviços financeiros e imobiliários, educação privada, outros serviços, indústria transformação, comércio, alojamento e alimentação, administração pública, artes e cultura e esporte, serviços domésticos. Eles terão restrições proporcionais ao nível de segurança do contágio da Covid-19 e o respectivo impacto econômico.

Regras que terão de ser adotadas conforme a bandeira da região e o setor econômico, como, por exemplo, quanto ao funcionamento, se pode ficar aberto ou não; ao horário, com restrições ou não; à triagem (medição de temperatura) dos colabores; quais EPIs são obrigatórios no atendimento, como máscaras e luvas; se devem ter afastamento de grupos de risco, algum tipo de distanciamento mínimo entre pessoas e limitação de pessoas, entre outros.

Durante a coletiva de imprensa, o governador reforçou que o modelo foi criado a partir de critérios técnicos e práticas internacionais, retirando qualquer “subjetividade” e “ideologia” das discussões sobre distanciamento controlado. “Não acreditamos em soluções milagrosas”, defendeu.

Além disso, reforçou que o modelo foi feito por meio do diálogo com entidades e prefeitos. “Estamos promovendo construção com diálogo”, afirmou. Antes do decreto entrar em vigor semana que vem, o Comitê de Dados e de Saúde, vinculado ao Gabinete de Crise do Estado, receberá sugestões até sábado, 2 de maio, e fará eventuais atualizações na estratégia.

Regiões a partir da cidade mais populosa:

1. Santa Maria (Centro-Oeste)
2. Uruguaiana (Centro-Oeste)
3. Capão da Canoa (Metropolitana)
4. Taquara (Metropolitana)
5. Novo Hamburgo (Metropolitana)
6. Canoas (Metropolitana)
7. Porto Alegre (Metropolitana)
8. Santo Ângelo (Missioneira)
9. Cruz Alta (Missioneira)
10. Ijuí (Missioneira)
11. Santa Rosa (Missioneira)
12. Palmeira das Missões (Norte)
13. Erechim (Norte)
14. Passo Fundo (Norte)
15. Pelotas (Sul)
16. Bagé (Sul)
17. Caxias do Sul (Serra)
18. Cachoeira do Sul (Vales)
19. Santa Cruz do Sul (Vales)
20. Lajeado (Vales)

Deixe uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

  
 WhatsApp