Dengue  mata quatro pessoas no Noroeste: Panambi  registra 13 pessoas contaminadas pelo mosquitoa

A região Noroeste do Rio Grande do Sul l tem quatro mortes por dengue em 2020, de acordo com boletim do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), publicado na quinta-feira (23), com levantamento relativo até o dia anterior.
De acordo com os dados do Centro, o estado registra recorde nas mortes pela doença. Até então, o RS tinha somente dois óbitos por dengue, em 2015.
Três óbitos foram confirmados na quinta:
Uma mulher de 74 anos, de Santo Ângelo, que morreu no dia 13 de abril;
Dois homens, moradores de Santo Cristo. Um morreu no dia 13 de março e tinha 77 anos. O outro de 60 anos morreu no dia 2 de abril.
O diagnóstico de dengue foi confirmado após exame do Laboratório Central do Estado (Lacen). O primeiro caso de morte pela doença neste ano havia sido em Santo Ângelo, de uma mulher de 71 anos, falecida em 21 de março.
Ainda de acordo com o boletim do Cevs, todos os casos são autóctones, ou seja, foram contraídos nas cidades onde as vítimas moravam.
Em Panambi a Secretaria Municipal da Saúde confirmou 13 casos de pessoas com a doença .
O RS ainda tem três casos confirmados de febre chikungunya, em Bagé, Passo Fundo e Palmeira das Missões, e um caso de zika vírus, em Osório. Assim como a dengue, ambas as doenças são causadas pelo mosquito aedes aegypti.

Deixe uma Resposta

  
 WhatsApp