Covid-19: mais de 18 mil pessoas estão cadastradas em sistema de monitoramento da prefeitura de Panambi

A tecnologia tornou-se um dos principais protagonistas no combate a pandemia do novo coronavírus. Por meio dela, muitas cidades conseguem, por exemplo, saber qual o percentual de isolamento social.

Em Panambi, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Ambiental (SDE) desenvolveu um software para registrar o acesso e a circulação de pessoas no município.

Com o Sistema de Rastreabilidade de Acessos, as equipes da Secretaria Municipal da Saúde podem identificar pessoas que tiveram contato com pacientes infectados com o Covid-19. O registro das pessoas é feito no comércio, empresas, indústria, órgãos públicos e nas barreiras sanitárias. Até o momento, mais de 126 estabelecimento já cadastraram mais de 19 mil pessoas.

Secretário de Desenvolvimento
Econômico e Ambiental,
Rafael Jacques de Oliveira

“O sistema vai nos entregar todas as pessoas que entraram no estabelecimento após aquela pessoa. (…) Tendo essas informações, a Saúde pode ser dinâmico e eficiente. (…) Mostrando isso, podem saber quais destas pessoas apresentam algum tipo de sintomas para que possa ser realizado qualquer verificação”, explica o titular da SDE, Rafael Jacques de Oliveira.

Desde que o sistema entrou em funcionamento, foram feitos mais de 35 mil registros no comércio. Nos órgãos públicos, foram 9 mil e nas barreiras sanitárias três mil.

“No momento que a pessoa estiver cadastrada em um ponto, basta que depois ela forneça o CPF que todos os dados estarão salvos”, ressalta o secretário. “Se contabilizar que, em média, a população ativa de um município é na casa de 40%, acredito que estejamos muito próximos da totalidade da população ativa já ter se registrado em algum local.”

Sem tiros no escuro

Além de ajudar a monitorar a propagação da doença, o software permite que as empresas possam saber quais pessoas tiveram contato com um infectado para monitorá-las sem que seja necessário a interdição da empresa ou a suspensão dos trabalhos.

“Isso reduz o impacto econômico das empresas, porque tu faz um fechamento mais consciente. O sistema traz segurança para as empresas. Ninguém quer a imagem de foco de coronavírus atribuída a sua empresa. E o sistema ajuda neste sentido”, afirma o secretário. “Tu não fica dando tiro no escuro. Tu vai direto ao ponto.”

O sistema tem outros modos de proteger as empresas. Quando o primeiro caso de Covid-19 foi confirmado em Panambi, começaram a espalhar boatos de que a paciente infectada estaria praticando atividade em uma academia. A Rádio Sulbrasileira desmentiu esse boato na época. “Se na época o sistema já estivesse plantado, poderíamos ter utilizado para saber se ela realmente esteve no estabelecimento”, ressalta.

País afora

Apesar da quantidade de registros e pessoas cadastradas, o objetivo é aumentar ainda mais o número de empresas participantes. “A eficiência do sistema depende diretamente da dedicação do empresário. O sistema só funciona se o empresário colaborar. Precisamos contar com o apoio de todos para que as ações de segurança deem certo.”

A iniciativa da prefeitura de Panambi, desenvolvido de forma gratuita pela empresa AVMB Soluções em TI, ficou conhecida país afora por meio de reportagens de rádios, televisões e jornais. “Mostra que o caminho está correto.”

Confira a entrevista completa com o secretário Rafael Jacques de Oliveira:

Deixe uma Resposta

  
 WhatsApp