Coronavírus: Frigoríficos do RS são responsáveis por 124 casos e sete mortes diretas e indiretas

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) identificou onze surtos de Covid-19 espalhados em sete municípios o Rio Grande do Sul. Destes, nove são em frigoríficos e dois em instituições de longa permanência de idosos, conforme boletim epidemiológico.

Somados, os casos confirmados de coronavírus em frigoríficos chegam a 124. Há um óbito direto (ou seja, de um funcionário da empresa) e seis indiretos – pessoas próximas a colaboradores destas empresas. De acordo com o boletim, há 16.345 trabalhadores expostos nos nove frigoríficos. Destes, 1.578 apresentam sintomas de gripe.

Já nas instituições de idosos, foram confirmados 19 casos e dois óbitos. Há 58 idosos expostos nas duas instituições.

A SES constatou dois surtos em Passo Fundo, que registraram o maior número de casos, 59 ao todo. Um deles no frigorífico da JBS, que recentemente foi interditado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), e o outro em um lar de idosos.

Conforme o boletim epidemiológico, somente na JBS, foram confirmados 43 casos de Covid-19 e quatro óbitos secundários. Há 2.410 trabalhadores expostos e destes 284 sintomáticos de síndrome gripal. No lar de idosos, foram confirmados 16 casos e um óbito.

Atualmente, o município registra o segundo maior número de casos confirmados (157) e óbitos (11), atrás apenas de Porto Alegre que conta com 447 infectados e 14 mortes. Na manhã desta quinta-feira (30), mais 17 casos foram confirmados.

Lajeado tem três surtos de coronavírus em dois frigoríficos e em uma instituição de idosos, com 58 casos e um óbito. Somados, os números de casos confirmados nas duas empresas chegam a 45, com 4.147 trabalhadores expostos, sendo que destes são considerados 1.191 sintomáticos de síndrome gripal.

Nem todos os casos confirmados em frigoríficos são moradores de Lajeado. Em Taquari, 14 dos 16 infectados trabalham nas duas empresas.

Já na ILPI, há três casos confirmados e um óbito. Há oito idosos expostos, sendo que três estão com sintomas de gripe.

Nesta quarta-feira (29), o município foi o que registrou o maior número de casos no RS, 21 ao todo. São 84 casos confirmados e quatro óbitos. Diante do aumento de casos, o prefeito Marcelo Caumo apresentou um decreto com o fechamento total do município pelos próximos quatro dias. Apenas os serviços considerados essenciais continuarão abertos.

Em Marau, município próximo de Passo Fundo, também foi constatado um surto em frigorífico. Foram confirmados 13 casos. Na empresa, há 3 mil trabalhadores expostos, sendo que 18 apresentam sintomas de gripe. O município registra, ao todo, 68 casos e um óbito, e encontra-se na quarta posição entre os municípios com o maior número de casos e mortes.

Outros dois surtos foram registrados em frigoríficos de Garibaldi. Há 13 casos confirmados e um óbito. Também foi constatado um surto em frigoríficos de Carlos Barbosa (4 casos), Encantando (4) e Tapejara (3). No último, foi confirmado um óbito secundário.

Saúde regulamenta prevenção de Covid-19 nos frigoríficos

A Secretaria Estadual da Saúde publicou em edição extra do Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (29) uma que determina a adoção de medidas de prevenção e controle da Covid-19 nas indústrias do Estado, incluindo os frigoríficos.

As ações contidas no documento foram debatidas com parlamentares, Ministério Público do Trabalho e representantes do setor de carnes e derivados, um dos mais atingidos por surtos da doença. O objetivo, de acordo com a secretária da Saúde, Arita Bergmann, é conter possíveis transmissões em espaços industriais em tempo oportuno e evitar que o coronavírus se espalhe nesses ambientes, onde geralmente muitas pessoas trabalham em locais fechados.

Indústrias de qualquer área ou porte deverão se adequar às normas. Cada empresa deve criar seu próprio Plano de Contingência para prevenção, monitoramento e controle do coronavírus, que, de acordo com o texto, “contemple no mínimo adequação estrutural, fluxo e processo de trabalho, identificação de forma sistemática o monitoramento de saúde dos trabalhadores, podendo ser solicitado a qualquer tempo pelos órgãos de fiscalização”.

Entre as ações previstas, estão:

• Distanciamento mínimo entre cada funcionário com recomendação de uso de barreiras físicas entre eles;

• Uso de equipamentos de proteção individual (EPIs);

• Escalas e turnos de trabalho para evitar aglomerações na entra e saída dos expedientes;

• Oportunizar trabalho remoto aos trabalhadores em grupos de risco;

• Realizar busca ativa diária de pessoas com sintomas compatíveis com Covid-19;

• Garantir o imediato afastamento dos trabalhadores com síndrome gripal e notificar esses casos imediatamente à Vigilância em Saúde do município;

O descumprimento das determinações da Portaria constitui infração sanitária, sujeitando o infrator a processo administrativo sanitário, sem prejuízo de outras sanções cabíveis.

Deixe uma Resposta

  
 WhatsApp