Coronavírus: 18,9 mil pessoas morreram e 424 mil estão infectadas em todo o mundo

O número de casos de morte por coronavírus aumentou de 16,5 mil para 18,9 mil em 24 horas, de acordo com os dados divulgados pela Universidade John Hopkins. Ao todo, cerca de 2.400 pessoas morreram em decorrência do Covid-19.

Em um dia, o número de casos aumentou de 384,4 mil para 424 mil. Ou seja, mais 40 mil pessoas foram infectadas pelo coronavírus. Há outras 13.130 pacientes em situação grave. Já o número de pessoas que se recuperaram do Covid-19 desde o início da pandemia passou dos 109 mil (85%).

Itália tem 743 mortes por coronavírus em um dia e total vai a 6.820

Na Itália, o número de mortos pela pandemia de coronavírus aumentou em 743, para 6.820, disse o chefe da Agência de Proteção Civil do país nessa terça-feira (24), o que representa uma reversão da queda nas mortes observada nos últimos dois dias.

Na segunda-feira (23), 602 pessoas morreram, depois de 650 mortes no domingo e 793 no sábado — o número diário mais alto desde que o contágio foi registrado na Itália, em 21 de fevereiro.

O número total de casos confirmados subiu para 69.176 em relação aos 63.927 anteriores, um aumento de 8,2%, em linha com a taxa de crescimento de segunda-feira, informou a Agência de Proteção Civil.

Das pessoas originalmente infectadas em todo o país, 8.326 haviam se recuperado totalmente na terça-feira, em comparação com 7.432 no dia anterior. Havia 3.396 pessoas em terapia intensiva, contra 3.204 antes.

Estados Unidos podem se tornar o epicentro da pandemia global

O pior da epidemia de coronavírus atingirá o Estado norte-americano de Nova York antes e de maneira mais agressiva do que se pensava anteriormente, afirmou o governador Andrew Cuomo nesta terça-feira, enquanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que os Estados Unidos podem se tornar o epicentro da pandemia global.

Enquanto o presidente Donald Trump reforçou sua defesa da reabertura da economia dos Estados Unidos nas próximas semanas, Cuomo disse que a pressa para aliviar as restrições a viagens, socialização e trabalho em conjunto pode custar vidas.

“Se você perguntar ao povo americano para que escolham entre saúde pública e economia, então não há discussão. Nenhum americano dirá para que a economia seja acelerada ao custo de vidas humanas”, disse o governador em um centro de convenções em Manhattan que está sendo transformado em um hospital temporário com mil leitos.

O estado governado por Cuomo, que tem a cidade mais populosa nos EUA, é o mais atingido pela epidemia, que infectou mais de 50 mil pessoas nos Estados Unidos e matou ao menos 660. O número de mortos em Nova York pela doença respiratória Covid-19 causada pelo vírus chegou a 157 pessoas.

A necessidade de leitos hospitalares esperada em Nova York no pico da pandemia saltou para 140 mil, disse Cuomo, comparada a 110 mil projetadas recentemente. Apenas 53 mil leitos estão disponíveis no momento.

A taxa de infecções está dobrando agora a cada três dias em Nova York e o pior ponto da epidemia, conhecido como apex, pode chegar em 14 a 21 dias, colocando uma gigantesca pressão no sistema de Saúde, disse Cuomo.

UTIs da França “cavam trincheiras” na guerra contra o coronavírus

Hoje, a França tem quase 20 mil casos confirmados de coronavírus e cerca de 860 mortes. Dois de cada cinco dos cinco mil leitos de UTI do país já estão ocupados por pacientes de coronavírus.

No leste francês, no entorno de Estrasburgo e Mulhouse, cenário do segundo maior surto depois da região de Paris, as UTIs já estão sobrecarregadas. O Exército está montando um hospital de campanha e transferindo pacientes para outras cidades.

“Estamos em pé de guerra, como se estivéssemos cavando trincheiras”, disse uma enfermeira de uma unidade de tratamento intensivo, sente que uma guerra foi declarada e sabe que seu hospital em Anger, cidade do oeste da França, será inundada em breve por pacientes de coronavírus gravemente doentes.

Índia anuncia quarentena de três semanas em todo o país

Países asiáticos estão implementando medidas rigorosas para conter o coronavírus. O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, determinou uma quarentena de três semanas em todo o país.

Modi disse, nessa terça-feira (24), que “especialistas da área de saúde afirmam que o período de pelo menos 21 dias é crucial para quebrar o ciclo de infecções do coronavírus”. Segundo o premiê, a quarentena “é a única forma de salvar” a população, de 1,3 bilhão de pessoas.

Mais de 500 casos foram confirmados e dez mortes registradas na segunda nação mais populosa do mundo.

Espanha tem 6.600 novos casos de coronavírus; mortos são 2.696

O número de novos casos de infecções causadas pelo novo coronavírus na Espanha (covid-19), saltou para 39.673 nesta terça-feira (24), informou o Ministério da Saúde espanhol.

O total de confirmações era ontem de 33.089. O número de mortes cresceu de 2.182 para 2.696 durante a noite.

Isolamento de Wuhan será suspenso em 8 de abril

Autoridades da província chinesa de Hubei informaram que vão remover restrições de viagem na cidade de Wuhan em 8 de abril.

Aeroportos, estações ferroviárias e estradas em Wuhan estão fechadas desde 23 janeiro para conter o alastramento do novo coronavírus.

A cidade tinha milhares de casos confirmados diariamente no auge do surto. Entretanto, não foram registradas novas infecções por cinco dias seguidos desde 18 de março, e apenas um caso nessa segunda-feira (23).

As autoridades disseram que todos os casos mais recentes foram importados. O número de mortos subiu em nove, chegando a 3.270. Todas as nove mortes ocorreram em Hubei.

Com informações da Agência Brasil

Deixe uma Resposta

  
 WhatsApp