Casos de dengue superam os de coronavírus no Rio Grande do Sul

Em meio à pandemia do coronavírus, que já vitimou mais de 3.670 brasileiros e infectou mais de 52 mil, o Brasil precisa lidar com a dengue. No Rio Grande do Sul, o número de pacientes com a doença superam os diagnosticados com o Covid-19, conforme levantamento feito pela Rádio Sulbrasileira a partir dos dados da Secretaria Estadual da Saúde.

Há 1.684 casos de dengue confirmados, conforme os dados do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs). São 588 a mais do que os por coronavírus registrados até a noite de sexta-feira (24), 1.096 casos ao todo.

Porém, o número de óbitos pelo Covid-19 chegam a 34, enquanto as mortes por dengue em 2020 são quatro até o momento. De acordo com o Cevs, as vítimas mais recentes são: uma moradora de Santo Ângelo, que morreu no dia 13 de abril, e dois moradores de Santo Cristo, um de 77 anos que faleceu no dia 13 de março e outro de 60 anos que morreu no dia 2 de abril.

Até o mesmo período de 2019, haviam sido confirmados 554 casos de dengue, 67,5% a menos que neste ano. Do número total de casos de dengue em 2020, 81% são autóctones, ou seja, os pacientes contraíram a doença no Rio Grande do Sul. 

Atualmente, 387 municípios gaúchos são considerados infestados pelo Aedes aegypti, incluindo Panambi, onde já foram registrados 13 casos de dengue, quase o dobro do registrado no ano passado. Em contrapartida, todos os casos suspeitos de coronavírus foram descartados no município.

Segundo a coordenadora de endemias de Panambi, Carla Regina Schimuneck, mais casos de dengue devem ser confirmados nos próximos dias: durante esta semana, três casos suspeitos foram notificados, um no Bairro Planalto e dois no Bairro Piratini. Os exames foram encaminhados para análise no Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Sul (Lacen/RS), em Porto Alegre. A primeira aplicação de veneno já foi realizada nestes locais.

Na área de abrangência da 17ª Coordenadoria Regional da Saúde, que abrange Panambi e outros 19 municípios, havia 87 casos positivos até semana passada. Quase metade foi registrada em Ijuí, 37. 

Trabalho em vão

Desde o início do ano, e equipe de endemias e Vigilância Ambiental de Panambi tem realizado ações para combater os focos de dengue no município. Mutirões de limpeza são realizados frequentemente nos bairros para remover os lixos que são jogados nas ruas e matos. Não há um levantamento de quantas toneladas de lixo foram recolhidas.

A coordenadora de endemias, Carla Schimuneck, afirma que em certos pontos as caçambas da prefeitura precisam fazer oito viagens para recolher todo o material. “E sempre encontramos muitos focos de mosquito nas desovas, principalmente em pneus e garrafas pet”, afirma.

No entanto, o trabalho das equipes que realizam os mutirões parece que ser em vão. Ultimamente, moradores estão desovando lixo em locais que haviam sido limpos. “No sábado passado, havíamos limpado tudo no Bairro Erica. Uma semana depois, já foi feita uma desova muito grande no mesmo local. É desanimador. Não temos força para juntar mais tanto lixo”, desabafa Carla. 

Em Três Passos, onde há 322 pessoas com dengue, o município enfrenta problema semelhante. Há um mês, o município realiza o Mutirão de Limpeza Assistido para combater os focos de mosquito da dengue. Até o momento, foram recolhidos 35 toneladas de entulhos dos pátios das residências.

Brasil

De acordo com o último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, do dia 13 de abril, há 557.750 casos prováveis em todo o país – não foi divulgado a quantidade de casos confirmados. 

Considerando os casos prováveis, a quantidade de pessoas infectadas por dengue é quase 11 vezes maior do que o número de contaminados por Covid-19 confirmados até o momento. A taxa de incidência é de 265,4 casos por 100 mil habitantes. O Ministério da Saúde afirma que a curva epidêmica dos casos prováveis de dengue registrados em 2020 ultrapassa o número de casos do mesmo período para os anos epidêmicos de 2015 e 2019. 

A exemplo do Rio Grande do Sul, o número de pessoas que perderam a vida pela doença pandêmica em todo o país é superior a das que morreram por dengue. Até o momento, foram confirmados 205 óbitos por dengue, enquanto que a quantidade por Covid-19 é 16 vezes maior, 3.315 até esta quinta-feira (23).

Deixe uma Resposta

  
 WhatsApp