Capturado no interior do Maranhão suspeito de assassinar mergulhador panambiense.

Foi preso, às 21h da sexta-feira (18), o suspeito do assassinato do mergulhador panambiense Luciano Heusner, crime cometido no dia 08 de dezembro do ano passado em Brasília DF.
Romário Alves de Sousa Silva, 21 anos, é apontado pela Policia Civil do Distrito Federal como autor do crime. O caso é tratado como latrocínio (roubo seguido de morte). Ele foi preso pela Policia Militar, após uma série de outros crimes em cidades do interior do Maranhão. Dentre esses crimes, o assassinato de um empresário da região.
O suspeito foi preso por policiais militares em uma pousada na cidade de Luís Domingues, estado do Maranhão. Ele estava, escondido em um quarto. Romário e estava sendo procurado por deflagrar disparos de arma de fogo contra um empresário durante o roubo de um Gol na cidade de Teresina no Piauí. De acordo com a Polícia Militar, Romário não reagiu e logo imediato confessou ser o autor do disparo que ceifou a vida do empresário no intuito de roubar cerca de 100 mil reais, que segundo informações, a vítima teria em espécie em sua casa.


Romário ainda é suspeito de ter matado com golpes de faca, no dia 08 de dezembro do ano passado o mergulhador panambiense Luciano Heusner.
Luciano e a acompanhante Patrícia Arrais, de 45, foram abordados em uma estrada de terra perto do Centro de Convenções Israel Pinheiro, na QI 32, no Lago Sul. em Brasília. Segundo o relato à Polícia Civil, o assaltante estava com uma faca e uma arma de fogo, e exigiu as chaves do carro e os itens pessoais das vítimas.
A mulher foi amarrada e jogada no matagal, na margem da estrada. Quando conseguiu se soltar, encontrou o corpo do namorado, já sem os sinais vitais e com uma marca de perfuração no pescoço. O carro dela não estava mais no local.
Ainda no local, ela conseguiu pedir ajuda a uma equipe do Batalhão Lacustre da Polícia Militar, que faz o patrulhamento do lago. Além do próprio veículo encontrado a cerca de 14 km do local do roubo, a vítima relatou o roubo de aparelhos celulares, equipamentos de mergulho, roupas, cartões bancários, documentos e um notebook.

fonte: pedranews.com