Auxílio Emergencial de R$600 pode ser prorrogado até dezembro

A equipe do Governo Federal responsável pelo gerenciamento do Auxílio Emergencial estuda a prorrogação do Auxílio de R$ 600 até o final do ano. A decisão ficará a cargo da equipe responsável pelos pagamentos, que é composta pelo ministro da Cidadania, Onix Lorenzoni; o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães; e o presidente da Dataprev, Gustavo Canuto.
A informação é de que o governo estuda a pagar três novas parcelas aos beneficiários do programa do auxílio emergencial, porém com valor reduzido de R$ 200, semelhante ao valor médio pago no programa assistencial do Bolsa Família.
Se o valor for de fato modificado, a equipe precisará da autorização do Congresso Nacional, tendo em vista que o Auxílio Emergencial foi aprovado e se tornou lei desta forma, não podendo ser modificado.
Caso o governo opte por manter os R$ 600, poderá fazer isso tudo por conta própria. A possibilidade, inclusive, já foi abordada pelos membros do Governo, que poderia utilizar o lucro do Banco Central para pagar as parcelas do Auxílio.
Segundo Ministério da Cidadania, cerca de 65 milhões de pessoas já receberam parcelas do Auxílio Emergencial de R$ 600, totalizando R$ 145,9 bilhões. Na projeção referente a esses dados, os cofres públicos terão desembolsados R$203 bilhões até o final de 2020.
“A definição é do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do presidente Jair Bolsonaro. A Caixa operacionaliza os pagamentos. Qualquer que seja a decisão, nós, na Caixa, conseguiremos fazer. Como estamos fazendo o pagamento desde abril, hoje estamos um nível de eficiência muito superior. Estamos pagando por mês, mais de 90 milhões de pessoas”, afirmou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

Fonte: Clic Camaquã

Deixe uma Resposta

  
 WhatsApp