Digite sua busca

Destaque Publicar no APP Segurança - Locais

Túmulos do Cemitério Municipal são alvos de vandalismo

Compartilhar

A equipe de reportagem da Rádio Sulbrasileira visitou o Cemitério Municipal de Panambi na tarde de terça-feira (13) e visualizou atos de vandalismo em dezenas de túmulos. Além de vidros e vasos quebrados em diversos jazigos, há um túmulo situado na parte mais baixa do espaço está destruído, deixa a ossada de uma pessoa não identificada à mostra.

Casos de furtos também puderam ser percebidos. Letras de aproximadamente 41 túmulos foram arrancadas das lápides, deixando muitas sem identificação. Em outras, percebe-se que uma placa com os dados do falecido foi instalada recentemente no jazigo, sugerindo que houve o furto de letras.

O aposentado Altamiro Dornelles Bonn (64), morador do Bairro Italiana, foi até o cemitério para visitar o túmulo do genro, Marcos de Paula Borges, morto em um acidente de carro em 2004. Tempos atrás, o jazigo foi alvo de vandalismo e teve a porta arrancada e objetos furtados. “Paguei R$ 70 por cada letra e foi tudo levado”, lamenta. Depois disso, a família instalou uma placa no local. Para ele, a falta de segurança permite que os atos de vandalismo continuem a acontecer. “Deveria ter um guarda, pelo menos de noite. Assim podem voltar aqui e fazer isso de novo.”

Prefeitura fará licitação para zeladoria do cemitério

O secretário de Obras, Urbanismo e Vias Públicas, Paulo Ricardo Schwingel, esteve no Cemitério Municipal a pedido da reportagem para ver a situação do local. “Infelizmente, isso tem acontecido não só aqui, mas em diversos pontos da nossa cidade”, lamenta. Segundo ele, nesta quarta-feira (14) os pedreiros da prefeitura vão até o cemitério para fazer a manutenção do túmulo quebrado onde a ossada estava à mostra.

Schwingel afirma que já está formatado o processo de licitação do cemitério para que uma empresa fique responsável pelo espaço. A expectativa é de que isso ocorra no próximo mês. “Nosso objetivo é tornar a cidade mais bonita. E talvez um dos últimos locais que não conseguimos agir de fato é o cemitério municipal. Mas com a licitação, acredito que em setembro a gente deve colocar à disposição dos interessados. Já temos interessados, que são do ramo. E a expectativa que a gente possa ter uma transformação positiva no que se refere à manutenção, embelezamento e atendimento”, declara.

Afirma que não há uma relação com a quantidade de túmulos ou a disposição dos mesmos. “Meu sonho é mapear tudo, por quadras, para saber a localização de cada jazigo.”
Em relação ao furto de letras, ressalta que as pessoas devem registrar um boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia.

Confira a galeria de imagens:

Tags:

Leia também