Número de assassinatos no Rio Grande do Sul reduz 21% de 2017 para 2018

O Rio Grande do Sul registrou uma queda de 21% nos índices de mortes violentas intencionais no ano passado. De 2017 para 2018, foram 659 assassinatos a menos, passando de 3.138 para 2.479. Os dados são do Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2019, divulgado nesta terça-feira (10) pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.
De acordo com o levantamento, as mortes violentas intencionais correspondem à soma das vítimas de homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e mortes de policiais dentro e fora de serviço. No Rio Grande do Sul, todos estes indicadores apresentaram redução acima de 10%.
O número de latrocínios teve a maior queda percentual, de 28,9%. O número de latrocínios caiu de 128 em 2017 para 91 em 2018. Em seguida, estão os casos de homicídio, que passaram de 2.970 em 2017 para 2.355 em 2018 – uma queda de 20,8%. Já os registros de lesão corporal seguida de morte reduziram 11,8%, passando de 34 para 30 casos.
Com base nos dados divulgados no anuário, o número de mortes registradas no Rio Grande do Sul em 2018 é o menor desde 2014, quando ocorreram 2.691 casos (veja a tabela abaixo).
Em todo o Brasil, foram registrados 57.341 assassinatos em 2018. Neste período, a taxa de homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes chegou a 27,5 no país. No Rio Grande do Sul, a taxa é de 21,9%, superior a de estados como Santa Catarina (13,3%) e São Paulo (9,5%). As unidades federativas com as maiores taxas são Roraima (66,6), no Amapá (57,9), no Rio Grande do Norte (55,4) e no Pará (54,6).