Digite sua busca

Política Política Local

Ministério Público Federal não recorre de decisão que inocentou Advogada Panambiense

Compartilhar

Conforme consta do processo que tramita no TRF da 4a. Região, em Porto Alegre, o Ministério Público Federal não recorreu da decisão que inocentou a Advogada Maria Manchini Rodrigues, o prefeito de Cruz Alta Vilson Roberto e o advogado Virlei Becker.
Conforme registro eletrônico na tarde de ontem (03), o Ministério Público Federal, que assumiu a autoria da denúncia, registrou ciência do prazo e renúncia a qualquer recurso.
Na sequência, o processo deve ser extinto e arquivado em definitivo, já que fora provado que não houve nenhum desvio de finalidade na gestão da ONG Centro de Assessoria Vida e muito menos a presidente da época, Dra. Maria Manchini Rodrigues, tenha auferido qualquer vantagem ilícita.
O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) havia absolvido no dia 19 de julho deste ano, o prefeito de Cruz Alta (RS), Vilson Roberto Bastos dos Santos, da acusação de prática de crime licitatório praticado durante mandato anterior, em 2010.
O Ministério Público Federal (MPF) havia oferecido denúncia, em março de 2016, contra Bastos dos Santos, prefeito de Cruz Alta de 2005 a 2012 e reeleito em 2016, Virlei Henrique Kletke Becker, procurador jurídico do município, e a advogada panambiense Maria Manchini Rodrigues, ex-presidente da Organização Não-Governamental Centro de Assessoria Vida (ONG-CAV).
O prefeito e o procurador foram acusados de praticar dispensa e inexigência de licitação fora das hipóteses previstas em lei, sem observar as formalidades pertinentes, enquanto Maria foi acusada de cooperar com a ilegalidade, beneficiando-se dela ao celebrar contrato com o Poder Público.
No julgamento do dia 19 do mês passado a 4ª Seção do TRF4 julgou, por unanimidade, improcedente a acusação, absolvendo os réus.

Tags:

Comente esta notícia

Your email address will not be published. Required fields are marked *