Maioria das escolas de Panambi aderem à greve do magistério


Os professores da rede estadual do Rio Grande do Sul decidiram paralisar as atividades nas escolas até sexta-feira (4). A greve por tempo determinado foi definida em assembleia do Cpers-Sindicato, realizada nesta terça-feira em frente ao Palácio Piratini, em Porto Alegre.
O motivo da greve é o novo parcelamento dos salários dos servidores estaduais, com a liberação de R$ 650 por matrícula no primeiro dia de pagamento. Este é o 18º parcelamento consecutivo feito pelo Piratini.
Uma nova assembleia será realizada na sexta-feira, no mesmo local, para decidir os rumos da mobilização.

Em Panambi, a situação das escolas estaduais é esta: Escola José de Anchieta, turno da noite em greve com adesão de 100% dos professores, turno do amanhã adesão de 90% e os professores do turno da tarde decidirão hoje sobre a adesão ou não ao movimento. Em razão disso, segundo a diretora da escola, as aulas de hoje do turno da tarde na José de Anchieta serão normais, com possibilidade de greve a partir de amanhã.
Já nas escolas estaduais Poncho Verde, Pindorama e Paulo Freire a paralisação e quase que total. Na Escola Hermann Faulhaber da Linha Brasil as aulas hoje são normais , não há uma definição dos docentes aderirem ou não a greve. Mesma situação é na escola estadual Adolfo Kepler, as aulas são normais nesta quarta-feira , incluindo o turno da noite, e em relação a quinta-feira ainda não há uma posição tomada pelos professores.