EMEI MADRE PAULA REALIZA BATE-PAPO SOBRE O AUTISMO


No dia 2 de abril desse ano, Dia Mundial da Conscientização do Autismo, a Escola Municipal de Educação Infantil Madre Paula Montalt organizou um Bate-papo sobre o Transtorno do Espectro Autista. O evento tinha por objetivo principal proporcionar um momento de diálogo entre as famílias e os profissionais, envolvidos no trabalho, e compartilhar experiências e angústias.
Participaram do evento, além da Equipe Gestora da Escola, composta pelos professores Marielli Costa Beber, Adriano Stiegemeier e Lilian Krambeck de Carvalho, os professores e atendentes da Escola, as mães dos meninos autistas e profissionais diversos da SMEC — Secretaria Municipal de Educação e Cultura, da APAE e do CAEEP — Centro de Atendimento Educacional Especializado.
O bate-papo enfocou, princípios como o amor, a união, a persistência, o conhecimento, entre outros, importantes para a convivência com pessoas com autismo. As mães presentes destacaram a evolução de seus filhos, a partir das experiências de convívio na Escola e dos atendimentos recebidos no CAEEP e na APAE. Revelaram também algumas angústias e dificuldades, que já enfrentaram ao longo da caminhada, e ouviram, das diferentes profissionais presentes, palavras de incentivo e encorajamento, para que sigam firmes e fortes na educação de seus filhos.
Segundo a Professora Simone Beatriz Schäfer e a Atendente Luciara Dalmolin Malheiros, “Conhecimento não se adquire apenas nos livros, mas no convívio, na prática, na escuta e na troca. E assim foi nosso Primeiro Bate-papo sobre o Autismo. Um momento para compartilhar vivências, experiências e conhecimento, onde cada um dos participantes teve a oportunidade de ensinar e aprender!”
Para a Professora Marisa Zdanski e a Atendente Marcia Wegner, “O Bate-papo foi muito positivo. A participação das mães, colocando seu dia-a-dia, foi de grande importância para conhecermos melhor a criança. Somos peça fundamental na construção de conhecimentos de cada um.”
O Professor Cleiton Pletsch, da área de Educação Física, acrescenta: “Observo grande avanço nestes alunos, desde que iniciaram na Escola. Os meninos que estão a mais tempo, estão muito bem inseridos e incluídos no ambiente escolar, demonstrando autonomia e bom relacionamento com os colegas. Eles pouco se diferem dos demais e apresentam bom desenvolvimento das capacidades físicas e motoras durante as aulas de Educação Física.”
A Escola atende atualmente cerca de 300 crianças, entre elas, 4 autistas. O autismo infantil é um distúrbio neurofisiológico, de causa ainda desconhecida, que afeta o funcionamento do cérebro em três áreas diferentes: a capacidade de comunicar, a capacidade de sociabilizar e a limitação de interesses. Trata-se de uma alteração global do desenvolvimento infantil que se mantém para a vida toda. É tratável e tem vários graus de gravidade: leve, moderado e severo.
Na avaliação do encontro, o grupo considerou a experiência extremamente importante e traçou encaminhamentos para os próximos encontros, marcados para julho e novembro desse ano.
A Escola agradece a parceria da SMEC, da APAE e do CAEEP, a participação das famílias e a colaboração dos profissionais da própria Escola, que com dedicação, conhecimento e esforço, procuram desempenhar seu papel da melhor forma, buscando sempre a melhoria da qualidade do trabalho.

Comentários