CARREGANDO

Digite sua busca

Geral Publicar no APP

Divulgado o Levantamento Rápido de Índices para o Aedes aegypti em Panambi

Compartilhar

Levantamento realizado pelas agentes de combate a endemias indica que em Panambi, o índice de infestação pelo mosquito Aedes aegypti, popularmente conhecido como o transmissor da dengue caiu, mas ainda requer alerta da população.
De acordo com a coordenadora do Setor de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde, enfermeira Vânia Piaia Abreu, Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti (LIRAa), concluído recentemente aponta que 0,9% dos domicílios estão infestados pelo mosquito.
No levantamento realizado em novembro do ano passado, o índice de infestação em Panambi era de 1,9%
Segundo a enfermeira Vania, o máximo aceitável pelo Ministério da Saúde para não ser considerado estado de alerta de infestação do mosquito é de 1%. Mesmo com o percentual estando em nível abaixo do máximo aceitável as recomendações são de que as pessoas continuem vigilantes, já que os períodos de calor favorecem a proliferação do Aedes aegypti. As agentes de combate a endemias continuam percorrendo as residências dos munícipes na zona urbana para verificar se não existem focos do mosquito.

A vigilância avalia que a proliferação do Aedes, que também está relacionado à transmissão de chikungunya e ao zika vírus, foi beneficiada pela falta de limpeza de terrenos, especialmente baldios e por agua acumulada e razão das últimas chuvas.

Enfermeira Vânia cita que entre os cuidados que a população deve ter para evitar a proliferação do vetor estão:
Colocar areia no prato das plantas ou trocar a água uma vez por semana.
Pneus velhos devem ser furados e guardados com cobertura ou recolhidos pela limpeza pública.
Garrafas pet e outros recipientes vazios também devem ser entregues à limpeza pública.
Vasos e baldes vazios devem ser colocados de boca para baixo.
Limpar diariamente as cubas de bebedouros de água mineral e de água comum.
Secar as áreas que acumulem águas de chuva e tampar as caixas d’água.

Tags:

Comente esta notícia

Your email address will not be published. Required fields are marked *