Digite sua busca

Destaque Geral Publicar no APP

Com recorde de chuva, Fronteira Oeste registra uma morte e pelo menos 31 pessoas fora de casa

Compartilhar

Com pelo menos 31 pessoas fora de casa, a Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul segue em alerta para a possibilidade de mais chuva nas próximas horas. O aguaceiro dos últimos dias castigou a região, principalmente os municípios de Alegrete e Uruguaiana. Na tarde de quarta-feira (9), a Defesa Civil estadual emitiu aviso de mau tempo para áreas da Fronteira Oeste e da Campanha nesta quinta-feira (10). O órgão cita a chance de “chuvas intensas acompanhadas de rajadas de vento e possibilidade de granizo em pontos isolados”.
Ao todo, são 25 pessoas desabrigadas (transferidas para abrigos públicos) e seis desalojadas (estão em casa de amigos ou parentes). Até o momento, Alegrete é um dos municípios mais afetados pelo mau tempo, contabilizando três pessoas desalojadas e 17 pessoas desabrigadas. Na madrugada de quarta-feira, o trabalhador rural Luis Antonio Pereira Duarte, 43 anos, morreu após uma árvore cair na casa onde ele morava.
Em Alegrete, a Defesa Civil municipal também segue monitorando o Rio Ibirapuitã, que estava acima dos 10 metros na noite de quarta-feira.
Em Paso de Los Libres, na província argentina de Corrientes, que faz fronteira com Uruguaiana, houve ao menos mais duas mortes em razão da chuva. Conforme o site do jornal Clarín, uma mãe, de idade não informada, e sua filha, de sete anos, se afogaram ao ter o carro em que viajam arrastado pelas águas enquanto tentavam cruzar uma ponte inundada.
— O veículo (Siena) caiu no Arroio da Despedida com seus quatro ocupantes e conseguiram sair do habitáculo seu condutor, Jorge Maldonado (33 anos) e seu filho de 11 anos, enquanto que no interior ficaram sua mulher, Lidia Fernández, e sua filha de sete anos, que perderam a vida — afirmou ao Clarín o chefe de Relações Institucionais da polícia provincial, Sergio Aguilar.
O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) também divulgou alerta para todo o Estado, entre a madrugada desta quinta-feira e o início da madrugada de sexta-feira (11). Conforme o órgão, existe a possibilidade de chuva entre 30mm e 60mm por hora ou 50mm e 100mm por dia, ventos intensos (60-100 Km/h), e queda de granizo.
Recorde de chuva
Conforme a Somar Meteorologia, choveu 358mm em Alegrete nos últimos quatro dias — mais do que o triplo da média histórica para o mês (114,9mm). Em Uruguaiana, foram registrados 295mm no período — mais do que o dobro previsto para janeiro (116,5mm).
EO coronel Júlio César Rocha Lopes, coordenador estadual da Defesa Civil, destacou que as coordenadorias regionais do órgão estão em estado de alerta para a possibilidade de mais precipitações nas próximas horas no Estado. Lopes pediu atenção especial aos moradores de regiões ribeirinhas:
— A orientação que damos aos moradores, principalmente os ribeirinhos, é de que fiquem atentos. De preferência, que já saiam de suas residências, vão para casa de parentes ou amigos onde possam pelo menos ficar em uma situação mais segura.
Em Bagé, onde o acumulado de chuva chegou a 70mm, foram registrados diversos pontos de alagamento e pelo menos três pessoas ficaram desalojadas. Os bairros mais atingidos foram Getulio Vargas, Arvorezinha e Popular. Até a tarde de quarta, o Corpo de Bombeiros não sabia precisar o número de pessoas afetadas e não havia informações sobre feridos, mas uma família precisou ser resgatada, no bairro Popular, após ter a casa tomada pela água.
De acordo com o último boletim da Defesa Civil Estadual, divulgado no final da tarde de quarta-feira, oito pessoas estavam desabrigadas em Dom Pedrito, na Campanha. Também houve alagamentos em São Borja, na Fronteira Oeste, e em vários pontos de Santa Maria, na Região Central, onde o aguaceiro bloqueou totalmente a Avenida Maranhão, que dá ao acesso ao bairro Tancredo Neves, com pelo menos 30 mil habitantes. Em Santa Maria, a água ainda invadiu casas nas Vilas Tropical e Lorenzi e no bairro Passo das Tropas, onde um arroio transbordou.
Tempo segue instável nos próximos dias
A frente fria que trouxe chuva para o Rio Grande do Sul segue atuando sobre o Estado nos próximos dias e deve se espalhar também pelas áreas centrais. Por isso, ainda há risco de transtornos em diversas regiões, alerta a Somar Meteorologia.

Fonte : ZH

Tags:

Comente esta notícia

Your email address will not be published. Required fields are marked *