Casal acusado de latrocínio planejava atacar empresário de Panambi


O casal indiciado por latrocínio de taxista de Frederico Westphalen planejava atacar um empresário de Panambi.
A afirmação é do delegado regional e polícia, doutor Carlos Beuter indicando que isso foi constatado durante as investigações policiais.
O empresário que era alvo na Cidade das Máquinas seria do ramo de ótica e relojoaria, mas a prisão por latrocínio frustrou a concretização de mais este crime por parte dos acusados.
O titular da 14ª região policial de Palmeira das Missões revelou que, o homem acusado do latrocínio foi flagrado pelas câmeras de segurança, monitorando a relojoaria que seria alvo do ataque.
Ainda de acordo com as investigações policiais, para atacar o taxista em Frederico Westphalen, , a mulher que reside no Bairro Kuhn em Panambi, iniciais G.A.D., teria solicitado uma corrida no taxi conduzido por Ervino Sabino da Silva, na estação Rodoviária daquela cidade. O destino seria a cidade de Erval Seco. Naquela cidade, o namorado da mulher de iniciais A.M.S., morador em Condor, ingressou no taxi, obrigando a vítima a seguir até o interior do município de Redentora, onde o taxista foi morto com dois disparos de revolver.
A mulher confessou que o objetivo era assaltar o taxista e quem teria efetuado os disparos contra a vítima seria seu companheiro. Por sua vez, o acusado assumiu a autoria da morte, mas alegou legitima defesa, uma suposta reação da vítima.
O inquérito policial que faz o indiciamento do casal no latrocínio do taxista Ervino Sabino da Silva está concluído e deve ser encaminhado ainda hoje ao Poder Judiciário pelo delegado titular da DP de Frederico Westphalen, Eduardo Ferronato Nardi.
O homem e a mulher estão presos temporariamente no Presidio de Frederico Westphalen.